In§tante§ ð'um £ouco: Agosto 2006
No teatro da vida, solitário,
Unicamente em sintonia com a fantasia,
Fui o artista que gerou imagens
Para consolo de ansias sem fim.

Fui aquele que criou
formas de vida pelo sentimento,
O génio insano que idealizou amores
Para amparo, sustento da esperança.

Louco alquimista dos mistérios,
Tradutor de desejos
E ensaísta da volupia eterna.

Fui plantador de sonhos...
O teu olhar tocou o meu
Não se disseram palavras
Não houve um beijo
Apenas um sorriso

E eu, louco por tão pouco...
Perdeste o nome
Perdeste o lugar
Estás a rodar no teu mundo
És assiduo em visões fantasmagóricas
De tantas quantas reténs?
A musica é destoante
E há acordes que prevalecem

...Decifra o eco do teu Deus...
Vai.
Procura onde quiseres,
Com quem desejares,
Como entenderes,
O prazer.

Se desejares, volta...

Não direi a dor,
A saudade,
As lágrimas tristes que a distancia provocou.
Cometi todos os vicios
Vivi dentro de todos os vicios
Eu mesmo fui o vicio
O próprio vicio!
Extravasei
Multipliquei-me
Transbordei
Entreguei-me

...E há apenas um caminho para a vida...
Estou suspenso
No ponto onde me toca o futuro
E o passado me prende.
Vivo todas as dimensões que existem em mim.
Pesa-me a leveza dos dias
Neste tempo que me consome e me leva pedaços

Desejo a inteireza de momentos banais
Quero a urgência de instantes únicos
Sinto os impulsos a gritarem por mim!!
Vi tudo de novo
Tudo que em tempos vivi
Momentos que se passaram
Instantes que ainda povoam o meu pensamento
A recordação foi doce!
Senti
Fui humano
Renasci!
Quando espero um SIM
Ouço NÃO
Quando penso que dizes NÃO
Dizes-me SIM
Para mim hoje é dia NÃO
Nem me atrevo a pensar que dirias SIM

É a luta entre conter o desejo e o explodir de prazer!!
Enumero cuidadosamente as vidas que perdi.
Quantos fins alcancei?
Quantos principios me afastam do abismo?
Invento um fim.
Recomeço como uma folha em branco
Preencho-me de mim...
Grito, VIDA!!
online