In§tante§ ð'um £ouco: Março 2012






A borboleta, beleza com asas cheias de cor
Voa com mil sonhos que sonho em preces de ilusão.

Dou-lhe o que não tenho e procuro nela o desejo sonhado,
A magia do silêncio, a leveza que o ar conduz no vazio de mim.

Ser como ela é ser vida.
Quisera ser assim...
Voar pela cor
Pelo odor
Tocar
Fazer nascer o ovo origem de nova fase de vida
Que é vida a prolongar-se.

Fiz de mim o que não sou e errante procuro-me sem voar.
Doem-me os pés e a sensibilidade, o coração e a mentalidade.

A claridade luz penetrante, faz-me sonhar
E o sonho leva-me ao sonho, fecundo de mim.



Irei renascendo para chegar ao começo
E voltar a ser quem sou...






O que ruiu, ruiu
A beleza também se esvai.
O que foi vivido não se perdeu,
Não lastimes a falta.

A ave que saiu do ninho não volta...






online