In§tante§ ð'um £ouco
Sigo a tua boca
Na procura do sal
Da maré que oferece vida
E na alma reencontro
A nudez melódica
De inesperados prantos
De inconfessos desejos
Que o tempo não afastou.

Na penumbra onde o silêncio és tu
Eu sou a névoa solitária que emana de ti...

10 Comments:

Blogger Obsession said...

Sigo-te na maré da saudade...

4/1/08 01:19  
Blogger Brain said...

Excelente reentrada Louco,

Como sempre,
Como tu.

Aquele Abraço.

4/1/08 17:31  
Blogger gasolina said...

Hum... já estava na altura de te voltar a encontrar como és.

As palavras não mentem. Revelam.

4/1/08 20:26  
Blogger NARNIA said...

Sempre Intenso, forte, sensual...
Perfeita simbiose.

6/1/08 19:10  
Blogger MªJosé M. said...

Sigo as tuas palavras, em silêncio.
Da névoa, belo som!

E do tempo... caminhando!
Entre o sol ou a chuva dos dias.

7/1/08 02:53  
Blogger Tânia Pereira said...

Bom dia, boa semana, bom mês, bom ano Louco...
Bom texto, como sempre os teus o são!
Este lembrou-me que muitas vezes se dá uma conotação negativa à palavra sombra e que este é um óptimo exemplo de como afinal a sombra de algo não tem que ser má.
bjocas e fica bem

7/1/08 22:27  
Blogger DarkMorgana said...

"Na penumbra onde o silêncio és tu
eu sou a névoa solitária que emana de ti"
Adorei!
Dá vontade de divagar!
Aparece, ó Ganda Maluco!

Beijos

8/1/08 21:02  
Blogger M@nza said...

Louco
A tua sanidade ainda não está perfeita.
A sicronia com o tempo está um pouco adiantada (10 anos precisamente - 04Jan 2018)
Essa névoa precisa desaparecer
de resto uma boa "reentré!?"
um abraço

8/1/08 22:58  
Blogger Papoila said...

Senhor Louco!
Magnífico poema de reentrada! O tempo não afasta a saudade! Intenso e sensual... alma lusa que se faz névoa!
Beijo

9/1/08 17:20  
Blogger Papoila said...

Já não passava por aqui há uns tempos....
Adorei reler de novo estas tuas palavras de desejo Louco.

BF

1/2/08 15:27  

Enviar um comentário

<< Home

online