In§tante§ ð'um £ouco

.
.

Escuto os sons que pelo vento me chegam
Aromas que da terra desabrocham
Ópio da minha vida, embriaguez do meu sentir...

Recebo da chuva os pingos
Que me cobrem o rosto
Que me limpam a alma...
E permito ao olhar
Perder-se na vastidão do infinito.

Bebo o sabor da maresia
Junto deste mar que é meu
Onde encontro o que sinto
Onde descubro o que sou...
A pequena parte do todo
Que me faz engrandecido.

Do longe crio o sonho
Onde o pensamento me faz
O que o tempo guarda da vida...
A pequena parte de mim que me anseia
Guardada como semente
Para ser jogada à terra.

Em algum lugar que não conheço
Serei chão, raiz, húmus
E assim será cumprido o destino.

É na delicadeza destas coisas que a vida me doi
Que toco no fundo, no sentido do que sou...

7 Comments:

Blogger Miss Brightside said...

''é na delicadeza destas coisa q a vida me dói''

porque, de facto, é nos pormenores q reside a maior emoçao. é pelas peqenas marcas q mais nos sentimos marcar...


lindo*

28/11/08 01:12  
Blogger Thiago Forrest Gump said...

Louco, sabe pincelar e dar vida às palavras! Isso em compensação não causa dor e sim prazer em quem lê!

28/11/08 02:17  
Blogger Apenas eu said...

é na delicadeza desta vida que sentes o sabor da chuva, que o vento é uma caricia e que nada acaba tudo se renova, nós mesmos...

28/11/08 13:56  
Blogger .*.Magia.*. said...

Teo torriatte konomama iko
Aisuruhito yo
shizukana yoi ni
Hikario tomoshi
Itoshiki oshieo idaki



(estou a escutar o sonoro...)

28/11/08 13:59  
Blogger .*.Magia.*. said...

Do alto do teu castelo és totalmente livre de escolher a dimensão do salto mas nunca suficientemente livre para escolher o que irás encontrar junto ao chão!

É na delicadeza destas coisas que também as sementes se revelam surpresas na coragem do salto...

28/11/08 14:08  
Blogger 2Pintas said...

maravilhosamente bonito! beijocas

28/11/08 14:41  
Blogger escarlate.due said...

:) contínuas a conseguir magia com as palavras :)

28/11/08 20:06  

Enviar um comentário

<< Home

online