In§tante§ ð'um £ouco
Ofereço-te um café e falo-te da minha vida.

Avançava o verão na noite em que te ouvi
Sobressaltado por mágoas, as estrelas quebravam-se
Aos olhos de uma criança assustada que fugia
Do vento que lhe feria a cara com a violência
De um passado inteiro.
Lembro-me disso na tarde em que calaste as vozes
Da casa com medo e frio como quem apaga cigarros
Nas costas da mão e quem te via chorava.
Mas tu não, nunca choraste por amores perdidos.
São belos os naufrágios, fazem-nos sentir vivos
Entre mares, acreditas? E fica a saudade do mar
Que faz cair primeiro sobre o nosso corpo
Tudo o que viremos a ser depois.

Ofereço-te um café se me falares dos teus amores.

7 Comments:

Blogger Magia said...

O sorriso que não se encontra pode esconder-se atrás da voz. E então, sem sentido, a solidão de um silêncio parado entre as sombras, move-se.
Solta-se a voz, a outra voz... a que permanece acesa, a que limpa e aclara o céu oferecendo-me estrelas onde não as havia.

Crazy Boy, ok, pode ser... para mim é sem açucar :P

4/8/08 14:22  
Blogger Peach said...

Jamais choro por amores perdidos... não acredito em amores eternos. Há sempre mudança, há sempre algo de novo.

como sempre... belissimo!

beijo*

5/8/08 00:21  
Blogger Marina said...

Primeiramente, parabens pelo layout..e pela musica!

Sobre o post...ja saí desta fase!...
=D
XD

Bjo!

6/8/08 00:41  
Blogger Moon_T said...

excelente combinaçao de clip e letras...

passou para aqui...

gostei mesmo.

obrigado


ps.
o café pago eu pode ser?
insisto

6/8/08 02:05  
Blogger Thiago Forrest Gump said...

Louco estás!

A essa hora? Se beber café, passo a noite em claro!

Chá? Não? Ok, ok, então devo positivamente partir...

:P

6/8/08 03:25  
Blogger .*.Magia.*. said...

Tretas!!!

Tu, tu, tu...

























(vou-me conter :P)

8/8/08 15:57  
Blogger Raquel Vasconcelos said...

Cheguei até aqui pela Poesia Portuguesa.
Não sou especial apreciadora de poesia, chamemos-lhe... sensual. O erro é meu, de forma alguma de quem a escreve pois sou eu que a não sei escrever ou apreciar.

Este post está fantasticamente belo. Mesmo. Gostei imenso!

"uma criança assustada que fugia
Do vento que lhe feria a cara com a violência
De um passado inteiro."

Quanto isto é real...

27/8/08 21:13  

Enviar um comentário

<< Home

online