In§tante§ ð'um £ouco: Mário Cesariny

Mário Cesariny

"Estou num pedestal muito alto
batem palmas e depois deixam-me ir
sózinho para casa.
Isto é glória literária à portuguesa"
---- // ----
"Alegre triste meigo feroz bêbedo
lúcido
no meio do mar

Claro obscuro novo velhíssimo obsceno
puro
no meio do mar

Nado-morto às quatro morto a nada às cinco
encontrado perdido
no meio do mar
no meio do mar"
---- // ----

"A poesia foi um fogo muito grande que ardeu.
Depois ficaram as cinzas.
Náo sou capaz de dizer versos porque sim.
Acabou."



(Para mim serás eterno...)

35 Comments:

Blogger Maria P. said...

Excelente homenagem (detesto esta palavra!)


Boa semana, em cada instante!

27/11/06 00:17  
Anonymous Anónimo said...

YOU ARE WELCOME TO ELSINORE

Entre nós e as palavras há metal fundente
entre nós e as palavras há hélices que andam
e podem dar-nos morte violar-nos tirar
do mais fundo de nós o mais útil segredo
entre nós e as palavras há perfis ardentes
espaços cheios de gente de costas
altas flores venenosas portas por abrir
e escadas e ponteiros e crianças sentadas
à espera do seu tempo e do seu precipício

Ao longo da muralha que habitamos
há palavras de vida há palavras de morte
há palavras imensas, que esperam por nós
e outras, frágeis, que deixaram de esperar
há palavras acesas como barcos
e há palavras homens, palavras que guardam
o seu segredo e a sua posição

Entre nós e as palavras, surdamente,
as mãos e as paredes de Elsenor
E há palavras nocturnas palavras gemidos
palavras que nos sobem ilegíveis à boca
palavras diamantes palavras nunca escritas
palavras impossíveis de escrever
por não termos connosco cordas de violinos
nem todo o sangue do mundo nem todo o amplexo do ar
e os braços dos amantes escrevem muito alto
muito além do azul onde oxidados morrem
palavras maternais só sombra só soluço
só espasmo só amor só solidão desfeita

Entre nós e as palavras, os emparedados
e entre nós e as palavras, o nosso dever falar

Mário Cesariny


xxx

Sem ser numa ideal sintonia, uma perfeita sintonia...a teia semi-aberta pelos mesmos motivos...há palavras que nunca morrerão.

Um beijo saudoso,

su

27/11/06 01:18  
Anonymous Anónimo said...

O que dizer?
Terá Mário C. dito que se pode morrer de Amor mas também pode morrer-se por falta de Amor...

Permanece nas palavras, sempre!
(Hoje uma estrela "subiu"...)

***************

«Faz-me o favor de não dizer absolutamente nada!
Supor o que dirá
Tua boca velada
É ouvir-te já.

É ouvir-te melhor
Do que o dirias.
O que és nao vem à flor
Das caras e dos dias.

Tu és melhor -- muito melhor!
Do que tu. Não digas nada. Sê
Alma do corpo nu
Que do espelho se vê. »

MÁRIO CESARINY


MJ

27/11/06 01:52  
Blogger Estranha pessoa esta said...

E para mim tb!

27/11/06 03:58  
Blogger Paula Raposo said...

Sem dúvida! Eterno. Beijos.

27/11/06 11:09  
Blogger Alex said...

eterno, em todas as ruas, em todas as palavras.

eternamente Mário Cesariny



beijinho para ti.
Gostei da tua escolha, da tua homenagem.

27/11/06 11:59  
Anonymous Anónimo said...

Tb fiz um texto para ele, de mim para ele...também chorei e não foi de pena. Sim o mundo está mais pobre, mas ele nunca viveu mesmo como nós vivemos pois não? Ele viveu como vivem os heróis e os sonhos...a sós e no meio das multidões.
obrigada.

27/11/06 12:23  
Blogger Papoila said...

Meu Querido Louco!
Cesariny é Eterno!
Daqui do Porto o meu abraço!
Beijo

27/11/06 12:35  
Blogger Mariana Matos said...

"Em todas as ruas te encontro
Em todas as ruas te perco
conheço tão bem o teu corpo
sonhei tanto a tua figura
que é de olhos fechados que eu ando
a limitar a tua altura
e bebo a água e sorvo o ar
que te atravessou a cintura
tanto, tão perto, tão real
que o meu corpo se transfigura
e toca o seu próprio elemento
num corpo que já não é seu
num rio que desapareceu
onde um braço teu me procura

Em todas as ruas te encontro
Em todas as ruas te perco"

Mário Cesariny

27/11/06 13:53  
Blogger Teresa Durães said...

Uma excelente homenagem

ao surrealista português

boa tarde

27/11/06 14:40  
Blogger Carla said...

Assim como a minha foto te levou ao meu espaço ,a tua trouxe-me ao teu,porque a acho triste, melancólica...fiquei um pouco e li-te,gostei,gostei muito... ;)

27/11/06 15:02  
Anonymous Anónimo said...

Para mim também!

27/11/06 16:04  
Blogger .*.Magia.*. said...

Olá Louco!
Eterno!
Permanece pelo que é...fica pelo que foi...

É...

Linda música!
A Idade do céu é eterna como a beleza que cada um guarda dentro de si!

Gostei muito!

Cheers!

27/11/06 16:53  
Blogger .*.Magia.*. said...

(Porque terei ficado eu com o comentário número 13????)

Cheers

27/11/06 16:53  
Blogger Isabel said...

Eterno sem duvida meu amigo.
Como o são todos os poetas.
Mas Mario Cesariny partiu para uma longa viagem, levou um pouco de cada um de nós e deixou tanto dele.
Para ele que amarei eternamente, uma lágrima um sorriso e uma asa no ar a acenar.
Até sempre Mario Cesariny. Guardaremos as tuas palavras, as tuas cores, as tuas telas o homem que foste para sempre como o mais precioso dos tesouros.

Lá na minha modesta casinha uma modesta homenágem como ele gostaria.

Para ti louco de lisboa tambem um texto sobre o Silêncio de um Louco do Porto que por acaso agora vive em lisboa o grande musico Vitor Rua.
É especial, vai ler que sei que vais gostar.

Até já.

Isabel

27/11/06 17:06  
Blogger anjoedemonio said...

bonito momento para Mário Cesariny

**:)))

27/11/06 17:26  
Blogger Thiago Forrest Gump said...

Belíssima homenagem!

A nostalgia que fica...

27/11/06 18:42  
Blogger Bandida said...

o último dos surrealistas. único.



Cesariny. Cesar iny. ce sar i ny.

Mário.

______________________________

27/11/06 21:15  
Anonymous Anónimo said...

... ficam dentro de mim frases suas que ecoam incessantemente nas minhas frases... quem parte, vive dentro de nós, nos nossos gestos, nas nossas decisões, nos nossos estados de espírito... para mim jamais partirá!

Beijos desarrumados

adc

http://poemasdesarrumados.blogspot.com

27/11/06 21:16  
Blogger Silvia said...

Linda homenagem a tua...
Beijos e um :)

27/11/06 21:33  
Blogger RPM said...

RIP!

que descanse em paz

RPM

27/11/06 22:57  
Blogger Memórias de Um Sorriso Luso said...

"Isto é glória literária à portuguesa" e não só...é a memória portuguesa...muito curta .

kiss

27/11/06 22:58  
Blogger Do éter para o éter said...

'Ama como a estrada começa'.

Parece que também ficaste até tarde a ver a 2!!

Beijos

27/11/06 23:22  
Blogger tb said...

porque o homem partiu mas a obra ficou....
tb eu!
beijos

27/11/06 23:34  
Anonymous gala said...

Bonito. Gostei. convido-te a ouvires "pastelaria"no meu blog ...foi a minha forma de mostrar um pouco do meu "outro Dali"

Gala

28/11/06 00:23  
Blogger Bela said...

Mesmo antes de desaparecer deste mundo físico, Cesariny já era eterno...
Bonita homenagem :)

28/11/06 01:06  
Anonymous mac said...

Mais um grande vulto que se foi...Estamos cada vez mais pobres.

28/11/06 11:17  
Anonymous Anónimo said...

O homem foi embora. Fica o poeta, eternamente.

Beijo grande.

28/11/06 11:19  
Blogger Xanusca said...

:) um até sempre a alguém que já conquistou a eternidade.

28/11/06 11:35  
Blogger Vida said...

Eterno certamente ficou para todos nós...

Beijinhos.

28/11/06 13:22  
Blogger Mixikó said...

E para mim...e para todos...
beijos muitos, pela escolha

28/11/06 14:45  
Blogger Hanah said...

Maravilhoso !!!!

28/11/06 22:18  
Blogger DarkMorgana said...

Vai estar presente me cada poema seu que sentirmos.

Os poetas, são imortais!

28/11/06 23:55  
Blogger Hanah said...

Devo dizer que a obra não é minha e sim do blog da Maat-------- talvez tenha pensado na sequencia ------- loucuras ----- em instantes ..........
também não irei ao seu funeral ------

29/11/06 01:27  
Blogger Lia Noronha said...

Que belo texto...composto de apêgo e desapêgo à Literatura...simplesmente dignificante!
Abraços de boa quarta-feira pra vc.

29/11/06 18:48  

Enviar um comentário

<< Home

online